Ao Amor

Publicado: 18 de janeiro de 2011 em A familia: Filhos do Céu

Oh, doce e sublime Amor,

Banha-me com fervor!

E se possível for,

Esqueça as atrocidades de minh’alma.

Belo!

Tão doce Amor,

Resgata-me da solidão,

Mostra-me o seu caminho.

Imploro-lhe

Tão cândido Amor,

Que me perdoe pelo tão pouco caso que fiz de ti.

Desculpe-me,

Por não ter lhe amado.

Oh, perfeito Amor…

E imploro-lhe:

Abraça-me forte,

Diz que agora tudo está bem.

E ensina-me como lhe amar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s